Testemunhos

A vida na Graça e no Alto Catumbela

Estes dias, meses, têm passado a correr, não sei se é de ter tanto que fazer e em que pensar que o tempo até parece ser pouco para aquilo que é preciso ainda, mas sinto-me muito agradecido por ter aceitado este desafio e por ter sido aceite.

As dificuldades têm sido muitas, seja na vida comunitária com personalidades e gostos tão diferentes, no projeto quando as coisas demoram a acontecer, seja na paciência que é preciso ter no dia-a-dia (deixando já um aviso para os futuros voluntários que a paciência é o requisito principal para partir em missão) ou até nas saudades que já começam a aparecer.

Mas todas essas dificuldades não são nada quando passo na rua e vejo o que de tanto ainda há para fazer por aqui e que mesmo assim as pessoas têm um sorriso para me dar. E então a vontade de continuar é renovada.

Logo antes de partir em missão disseram-me que “este será o ano mais exigente da tua vida mas também o ano mais enriquecedor”. Acho que para mim esta frase resume todo o tempo de missão!

Ao mesmo tempo, já começámos o nosso trabalho na Ganda onde as necessidades ainda são maiores que em Benguela. Contudo, mesmo com muitas necessidades vejo também muitas oportunidades, o que me faz sentir muito motivado nesta abertura de missão na Ganda, que está para breve.

Com uma comunidade muito participativa, já tivemos duas reuniões com o Grupo Comunitário, uma com os jovens e uma com as mamãs do Bairro do Alto Catumbela.

Por enquanto e também muito motivado, contínuo pelo Bairro da Graça a terminar a obra que está a ficar tão bonita, o Espaço Criança, com os nossos mestres!

Miguel Santinho
Benguela, 2018-2019