Testemunhos

Nona Catchila Massadu Nêfa

Acordo cedo, ainda não caí em mim, pela janela, o mar imenso inunda-me a face. Respiro o ar húmido, do outro lado já despertou o motivo que me trouxe cá. Estou preparada para sair.

Xi mulela nasci kêfa, nona catchila massadu nêfa!

Aprendi este ditado numa reunião com o Grupo Forte da Comunidade de Malanza (GFCM).

Significa: Se a amoreira não cair não tiramos o machado. A amoreira é uma árvore de grande porte, difícil de derrubar, mas, se o nosso objectivo é deitá-la abaixo não desistimos até conseguir.

Porquê falar nisto?

Na formação, explicam-nos que o trabalho dos Leigos para o Desenvolvimento é de continuidade, o projeto que nos é atribuído, geralmente, já existe, já tem a sua história e o nosso objetivo é remar no sentido da capacitação. Um dia, como uma família faz com os seus filhos, deixamos que eles aprendam, caindo e erguendo-se, observando-os de longe. Mas quando chegamos ao terreno surge outra continuidade. Vejo, pelo testemunho de todos por quem tenho passado, que a presença dos LD traz esperança às pessoas, alimenta as suas forças para que todos sejamos atores no desenvolvimento de São Tomé e Príncipe.

O dia de um missionário muda tantas vezes quanto o clima. Ora chove, ora está sol, ora é vento, ora emerge um calor abafado da terra… O dia está todo programado, sem dar por ela, transformou-se. Por vezes, o resultado é bom, outras, parece o fim do mundo. Aí entra a comunidade LD, com quem partilhas as vitórias e as derrotas provisórias, com quem engenhas estratégias para a próxima batalha.

Gostaria ainda de falar sobre o GFCM. Ele reúne pessoas de Vila Malanza interessadas na resolução dos problemas da comunidade. Neste momento, trabalhamos para dois grandes objetivos, a formalização do grupo e a abertura de uma vala para escoamento da água. Quando chove, uma parte da comunidade fica inundada, com isto surge outro problema, o lixo é arrastado pela água para o mar. Ao resolvermos o primeiro teremos tempo para resolver o seguinte.

Mas, nem tudo é um mar de rosas… Existem sempre aqueles mais motivados que dão tudo de si e há os que desmotivam mais facilmente. É trabalho dos mais perseverantes animar os restantes, relembrá-los das suas capacidades e do papel de cada um no grupo. O presidente do GFCM, Aragão, tem sido incansável. É um homem jovem, tem a sua família, é pastor na sua igreja, é pescador e agricultor. Ainda assim, encontra tempo para dedicar a este grupo de forma voluntária, procurando o desenvolvimento de Malanza. Nos últimos tempos tem-se dedicado a perceber o que desmotiva os elementos, tem sido energia para recarregar as forças dos que começam a ceder e a chama dos sonhos um dia, por todos, idealizados.

Sofia e Aragao 2

Continuaremos a sonhar bem alto, nona catchila massadu nêfa, porque Deus não nos faz sonhar com o impossível. Relembremos Paulo Coelho no seu livro O Alquimista “Quando alguém quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que possa realizá-la”.

Estes são os nossos planos a curto prazo, acompanhem-nos nesta missão para ver o que o futuro nos reserva.

Sofia Costa
S. Tomé e Príncipe, 2018-2019