Testemunhos

“- É da casa dos loucos?”

Cheguei há um mês e pouco à cidade de São Tomé, onde vou estar em missão durante um ano. Algumas pessoas em Portugal diziam-me “- Um ano??! És louca…!”

Pouco tempo depois de chegar, nem uma semana fazia, alguém cá em casa estava a ligar para a CST (Empresa de Telecomunicações de São Tomé) a reportar uma avaria na internet.
“- Estou sim, é da casa dos Leigos, estou a ligar por causa da internet….”
“- É da casa dos loucos?”- Responde a senhora do outro lado, que não tinha ouvido bem.

Estava cá também nessa altura uma visita à missão que confessava, no meio de uma conversa que, quando chegou, achou que nós éramos todos um bocado loucos…

De facto, fui reparando num certo traço de loucura nos voluntários que já cá estavam…Mas tão felizes e realizados… Cheguei a pensar se também iria ficar assim, se esta casa de facto merecia o nome de “Casa dos Loucos”…

Espero que sim! E acho que vamos começando a caminhar para isso.

Dizem que somos loucos porque viemos.
Somos loucos porque andamos à boleia.
Somos loucos porque escolhemos viver em pobreza e simplicidade, tomamos banho de caneco e jantamos à luz das velas.
Somos loucos porque dizemos bom dia a toda a gente (e recebemos sempre um sorriso de volta!).
Somos loucos porque rezamos no meio da praia.
Somos loucos porque cantamos aos berros quando estamos todos no carro.
Somos loucos porque trabalhamos em projetos que pouco ou nada têm a ver com a nossa formação.
Para alguns podem parecer loucuras, mas aqui é só o dia-a-dia!

Estamos nesta “Casa dos Loucos” porque Deus nos chamou a estar aqui, e a pergunta para a qual vamos procurando resposta é “para quê?”.

Jesus foi louco por nós (morreu na Cruz!), será que temos a coragem de sermos loucos por Ele?

Carmo La Cerda
S. Tomé e Príncipe, 2018-2019

Testemunho