Testemunhos

Agora é a Hora

De dizer obrigada…

Chego agora à reta final deste tempo “benguelense”, sentindo uma certa estranheza por não perceber muito bem o que aí vem agora e por já estar habituada a ter uma agenda cheia de encontros e conversas e momentos preciosos com pessoas que só pertencem aqui, a este lugar quase sagrado.

Sei que parece exagerado já estar com este discurso por ainda faltar algum tempo até ao meu regresso mas aqui os dias, apesar de serem compridos e cheios, são fogazes e esquivos. Por isso já me sinto a viver os últimos cartuchos e está na hora de agradecer, na hora de saber olhar e guardar os pormenores mais importantes, pois num piscar de olhos estarei noutro sítio e não terei mais oportunidades como esta para enaltecer as pessoas que me fizeram crescer.

E já sei o que estão a pensar:” isso é uma coisa que devia ter sido feito todos os dias…todos eles são a hora de dizer obrigada!”…Têm toda a razão mas, caso não seja do vosso conhecimento, eu (como muitos outros) sofro de uma doença que se chama “umbiguite crónica e miopia desfocada para o agora”… e por essa razão não estive atenta a estes momentos e pormenores como deveria, pelo menos não todos os dias. Mas agora já tenho os óculos postos e a coluna mais endireitada para agradecer a cada pessoa, uma a uma. E agora é a hora.

Assim sendo, queria agradecer à Mãe Jovita a sua paciência e a sua entrega; à Tete Miguel pela sua exigência e casmorrice; à Vitória pela sua disponibilidade; à Bela pela amizade; à Ilda pela dedicação e vontade de aprender; à Mãe Ermelinda pelo serviço e sabedoria; à Mujinga pela genuinidade; à Florinda pelo desafio; à Mãe Maria pela simplicidade; à Tete Laurinda pelo sorriso meigo; à Mãe Joana pelo abraço de mãe grande; a todos as novas mamãs que estão na formação pelo olhar ávido por aprender; ao Fausto pela compreensão; ao Sr. Filipe e Sr. Afonso pela abertura à mudança; ao Dadox pelo divertimento; ao Cesário pelo olhar meigo; ao Salú pelo exemplo de compromisso e fidelidade e despojamento; ao Chitiquito pelo seu exemplo de dedicação; ao João pela sua sinceridade; à Josefa pela sua persistência e pela sua fé…a todos os que fizeram e fazem parte do meu dia-a-dia o meu sincero e humilde obrigado por tudo o que me ensinaram, por tanto bem recebido, pela Graça que são e pela Graça que fazem deste bairro cheio de vida.

Agora e a hora

Tal como Allan Poe uma vez disse :“Eu definiria, brevemente, a poesia de palavras como A Criação Rítmica da Beleza.” (Allan Poe, em “O Príncipe Poético”).

Pois bem…. Caso algum dia passem no Bairro da Graça irão constatar que existe uma poesia de pessoas que cria, todos os dias, uma rítmica beleza de vida à sua volta e que é uma sorte incalculável poder ter presenciado essa maravilha da natureza.

Obrigada a todos! Um abraço a todos! Estamos e estaremos sempre juntos!

Teresa Cruz
Benguela, 2017-2018