Testemunhos

As 10 Garantias

Quando se parte na sua missão (e.g. missão pelos Leigos para o Desenvolvimento), acima de tudo um missionário parte com uma lista de inegociáveis, uma lista de responsabilidades altíssimas, que até nos custa aprender a sua importância e peso. Ora falo dos 10 mandamentos, principalmente daqueles dois que nos desafiam a deixarmos de ser ‘o’ ou ‘a’ e passarmos a ser ‘Dele’.

Ao longo de todos estes meses percebi o quanto se tem de abdicar, o quanto se tem de sofrer, o quanto se tem de soluçar para alcançar um grão de areia desse estado de vida. No entanto, não é a loucura nem a vontade de irracional de reverência a Deus que nos movem. Não! O que nos motiva, e nos dá a força para caminhar é algo objetivo, algo tão concreto que é impossível negar, e resume-se nas 10 Garantias ao Missionar.

Ora como a palavra diz, garantia é aquilo que assegura que algo se cumpre ou realiza, são seguranças. Daí a sua importância, pois servem de referência para equilibrar as incertezas do futuro e do desconhecido. Assim contrapondo com tamanha responsabilidade chegam-nos saborosos frutos. Por outras palavras, e citando um dito popular, ‘um cristão (com garantias) não teme!’.

As garantias são:
1 – Garantia que somos o filho muito amado.
2 – Garantia que não estamos sozinhos.
3 – Garantia que crescemos na nossa vida espiritual.
4 – Garantia que experimentamos o poder de confiar.
5 – Garantia que tudo o que vamos dando, vamos recebendo a dobrar.
6 – Garantia que realizamos coisas impensáveis ou inéditas para nós.
7 – Garantia que desenvolvemos a realidade com a qual interagimos.
8 – Garantia que somos felizes ao fazê-lo.
9 – Garantia que somos imperfeitos.
10 – Garantia que percebemos realmente o que estas garantias significam.

Estas certezas são definidas para ser vividas, pois elas têm o impacto que eu lhes quiser dar. No entanto, ao longo da minha missão reparo que todos os estes pontos se exprimiram e deram cor ao propósito deste caminho para Deus. Estas 10 Garantias são parte ativa em tudo na missão e ao longo de todo o ano, de todos os meses, de todas as semanas, de todos os dias, de todas as horas, de todos os minutos, vá de todos os segundos. É esta regularidade no compromisso que Deus me fez, que me incentiva a cumprir esta missão.

Ao longo deste ano fui testemunhando a realidade dos meus projetos, dos seus desafios, das suas peculiaridades, do seu potencial inspirador, não deixando de lado as histórias daqueles em quem esta missão tanto impacto tem. Falei-vos da formação profissional e da vontade, que a comunidade tem, em chutar em direção a um futuro mais qualificado, falei-vos do grupo de empreendedores que empenho se agrupam para exportarem a sua arte e engenho e falei-vos da informatização de uma comunidade que, através do CIC – Centro Informático Comunitário de Boa Morte, tem dado passos no seu desenvolvimento. No entanto, ainda não vos falei do projeto Comunidade.

Dentro desta realidade, esse é o projeto mais desafiante, mas também o mais gratificante, é o projeto onde todos os dias aprendo mais, e onde mais experimento as garantias de que vos falava. Partir em missão neste propósito, é não partir sozinho, é ser enviados em pares, como Jesus enviou os discípulos. É diariamente partilhar uma casa com seis testemunhos vivos de quem já não é ‘o’ ou ‘a’ e é ‘Dele’. A experiencia comunitária, mostra-nos realmente a nossa imperfeição, mas também por isso nos tornamos inéditos aos nossos olhos. É estar todos os segundos empenhado em garantir que não deixo escapar nenhuma das garantias, especialmente sendo consciente de que somos todos o filho muito amado.

Comunidade STP 2016 2017

Tiago Fernandes
S.Tomé e Príncipe, 2016-2017