Notícias

Documentário "O dia de amanhã" exibido na Embaixada de Portugal

A Embaixada de Portugal abriu as portas ao documentário “O dia de amanhã”, documentário realizado com a Associação AO NORTE sobre as Escolinhas Comunitárias do Niassa (ECN), permitindo assim que se fizesse a sua antestreia no passado mês de dezembro de 2018.

“O Dia de Amanhã” retrata a experiência dos Leigos para o Desenvolvimento nas ECN ao longo dos mais de 20 anos de implementação do projeto em conjunto com a Diocese de Lichinga e, mais recentemente, com a FEC – Fundação Fé e Cooperação.

O documentário vai mostrando alguns dos trabalhos das Escolinhas, sendo possível perceber igualmente toda a dinâmica envolvente como o trabalho das Comissões de Gestão, das Comunidades, dos Monitores, dos Supervisores.



Abordam-se ainda as questões ligadas à sustentabilidade e ao desenvolvimento das ECN, o papel das machambas* e dos negócios comunitários neste capítulo particular, bem como o dos agentes económicos locais de relevo, como é exemplo a Sociedade Algodoeira do Niassa através do fomento de algodão, mas também no apoio direto ao projeto.

Tudo isto torna o documentário ainda mais rico proporcionando não só uma viagem pelas ECN, mas também pela região do Niassa, procurando retratar fielmente a realidade vivida.

Este foi um evento aberto, principalmente, a Organizações da Sociedade Civil que trabalham o Desenvolvimento da Primeira Infância, como a FEC, a ESSOR, a RDPI, a Associação Khandlelo ou a Associação Projecto Cidadão, desenrolando-se após a visualização do documentário um momento de avaliação, partilha e reflexão.

Edson, da ESSOR, deu particular enfâse à base de sustentabilidade comunitária afirmando que “esta experiência devia chegar aos órgãos governativos para que se pudesse replicar no país. Todas as escolinhas deviam ter machamba* e negócio comunitário.

Por seu lado, Marlene e Nilton, da Associação Projecto Cidadão, manifestaram também o seu agrado dizendo que “o documentário está muito bom. Também, hoje em dia é muito importante o pensamento na sustentabilidade e envolver as comunidades nessa procura. Para além disso, gostei muito da estrutura [das ECN] de ter uma coordenação, supervisão-geral e supervisores de zona. Os Leigos para o Desenvolvimento, o Sr. Paulino e a Ir. Margarida estão de parabéns!”.

O trabalho levado a cabo pela AO NORTE e pelos Leigos para o Desenvolvimento foi amplamente elogiado e muito bem recebido pelos participantes, regozijando-se e felicitando não só pelo trabalho desenvolvido no Niassa, província frequentemente esquecida em Moçambique, como pela forma como é feito.

Esta iniciativa decorre do projeto Othukumana II, parceria entre os Leigos para o Desenvolvimento, a Fundação Fé e Cooperação e a Diocese de Lichinga, e financiado pela Misereor/Kindermissionwerk.

*campo agrícola/horta