Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2011 JoomlaWorks Ltd.

Testemunhos

André Patrício
A quente e acolhedora cidade de Cuamba, à qual carinhosamente apelido de capital da poeira, do algodão e da intriga, não seria certamente igual sem a passagem dos Leigos para o Desenvolvimento (LD).A ligação dos LD a Cuamba leva já mais de 2 décadas, o que permite antever a enorme quantidade de pessoas, de gerações diferentes, marcadas pela nossa presença, numa ligação reciprocamente marcante.Mais de 20 anos, muitos projetos, vários voluntários, muitos estórias para contar…
Carmo La Cerda
Cheguei há um mês e pouco à cidade de São Tomé, onde vou estar em missão durante um ano. Algumas pessoas em Portugal diziam-me “- Um ano??! És louca…!” Pouco tempo depois de chegar, nem uma semana fazia, alguém cá em casa estava a ligar para a CST (Empresa de Telecomunicações de São Tomé) a reportar uma avaria na internet.“- Estou sim, é da casa dos Leigos, estou a ligar por causa da internet….”“- É da casa dos loucos?”- Responde a senhora do outro lado, que não tinha ouvido bem.
Marta Horta
Há mais de 10 anos no Bairro da Graça, os Leigos para o Desenvolvimento já se cruzaram com muita gente. Foram vários os projetos, mas mais ainda os amigos. A verdade é que os voluntários vêm e vão, mas estas pessoas ficam. Chega o mês de Setembro ou Outubro e veem ir embora as pessoas com quem conviveram, trabalharam e partilharam tanto durante um ano das suas vidas.
Marta Campelo
Nas corridas de estafetas, a passagem de testemunho é o momento mais importante de toda a corrida. Dois atletas, um a terminar a sua corrida e outro preparado para começar, correm lado a lado, segurando ambos o mesmo testemunho. Eventualmente, o testemunho é confiado a este novo corredor que, cheio de energia e fulgor, continua a prova começando o seu sprint. São frações de segundo, de uma intensidade imensa.
Rita Marques
Recomeça,Mesmo que te custe,Mesmo que seja preciso pagar bom preço,Mesmo que sintas medo no mais íntimo de ti.
Constança Turquin
Há umas semanas lia uma história do livro “Ao largo” de José d’Almansor. Falava do canivete suíço. Temos sempre tendência a dominarmos, a ser o nosso ‘eu’ quem governa procurando desesperadamente atenção e reconhecimento através das nossas ideias inovadoras e projetos ‘espetaculares’. Esquecemo-nos porém que o desenvolvimento conjuga-se na primeira pessoa do plural.
Gonçalo Vaz Pedro
Por estes dias a nossa Comunidade teve a sorte de receber a visita da Carina - a voluntária LD que me antecedeu no Espaço Criança*. É difícil de descrever a sensação que vivi quando a revi no aeroporto. Conheci-a há mais ou menos 11 meses atrás, altura em que ela me recebia aqui em Benguela, para me passar o projeto do qual tinha sido responsável no ano anterior. Passados 15 dias, ela regressava a Portugal e coube-me a mim assumir as suas funções. Revê-la agora foi como se começasse a tocar o alarme do telemóvel, para me avisar que a aventura está a chegar ao fim. E claro: que agora é a minha vez de passar o projeto. Tudo passou mesmo muito rápido… E neste ano aconteceu tanta coisa…
Marta Barreiras
“Deus quer, o homem sonha e a obra nasce”, a missão da Caparica-Pragal constata isso mesmo.Há muito que os Leigos para o Desenvolvimento (LD) sonhavam em ter uma missão em Portugal e quis Deus que este fosse o ano para tornar real este sonho.

Notícias

Nas últimas semanas uma rajada de risos, sorrisos e gritos revigorados invadiu várias das Escolinhas Comunitárias do Niassa. A instalação de pequenos parques infantis trouxe ainda mais brincadeira, mais crianças e, consequentemente, mais vida às Escolinhas Comunitárias do Niassa (ECN).
No passado dia 20 de setembro foi inaugurado um novo espaço em Porto Alegre, S. Tomé e Príncipe, com a missão de melhorar a resposta educativa e formativa à comunidade local. Este novo espaço conta com três salas: uma biblioteca, uma sala multiusos e uma sala de informática que podem ser usadas por toda a população, desde as crianças até aos adultos.
A cidade de Lichinga acolheu nos passados dias 5 e 6 de Setembro o III Fórum Provincial – “Juntos pela Criança”, evento já organizado em anos anteriores.
Antecedendo os trabalhos do III Fórum Provincial Juntos pela Criança, a comissão organizadora do evento (Diocese de Lichinga, Leigos para o Desenvolvimento e Fundação Fé e Cooperação) entendeu criar um momento específico para que as Organizações da Sociedade Civil (OSC) que desenvolvem projetos na área da pequena infância em Moçambique pudessem partilhar as suas intervenções.
O Grupo de Comerciantes do Bairro da Boa Morte, em S. Tomé e Príncipe, pretende criar uma Rota de Comércio Tradicional da Boa Morte, partido do desenvolvimento de potenciais pontos de interesse turístico no bairro e tem trabalho ativamente para atingir este grande objetivo.
No dia 20 de agosto, o grupo Epongoloko Lyukãy (Mudança da Mulher) realizou a 2ª Assembleia Geral para se decidir o futuro do grupo. Na ordem de trabalhos estava contemplada uma palestra sobre o associativismo e cooperativismo e a votação em plenário para se decidir se o grupo se transforma numa associação ou numa cooperativa.
O grupo de mulheres Trabá só cá dá tê - “Só quem trabalha tem”, em forro santomense - visitou, no passado mês de agosto, duas fábricas que se dedicam à transformação de produtos da terra e naturais de São Tomé e Príncipe. Bem cedo as mulheres saíram de Vila Malanza com muita vontade de ver e aprender coisas novas e de passarem um dia diferente, dedicado a elas e ao convívio salutar entre todas.
Entre os dias 20 e 24 de agosto realizou-se no Bairro da Graça (Benguela, Angola), mais uma edição dos Campos de Férias do Espaço Criança. Durante 5 dias, as crianças que frequentam o Espaço no decorrer do ano letivo e mais algumas crianças do Bairro, tiveram a oportunidade de ocupar a sua pausa letiva de uma maneira bem especial.
Os Leigos para o Desenvolvimento têm acompanhado nos últimos anos o Grupo de Tchiloli, Formiguinha da Boa Morte, oriundo do Bairro da Boa Morte em S. Tomé, que existe desde 1956.